Viva Nossa Senhoraaaa!!!!!!!!

Estamos vivenciando um tempo de graça e bênção no Senhor.

Como Paróquia estamos nos preparando para celebrar a novena de nosso Padroeiro, o Coração de Jesus. Estamos em quermesse, tempo de encontros de confraternização e festa. E  tudo isso acontece no mês de maio que é dedicado a Maria.

Trata-se de uma antiga tradição popular, que foi assumida pela Igreja, homenageando a pessoa da Mãe de Jesus. Ela merece dos cristãos um carinho todo especial pelo seu importante papel na história da salvação. Deus a escolheu para ser a mãe do Salvador, plenificou-a com sua graça, por isso proclamamos “Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco”.

Para todos nós, ela é modelo de fé e de oração, de contemplação do mistério divino. É a mulher obediente à Palavra de Deus, de quem Isabel testemunhou: “Bem-aventurada a que acreditou, porque se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas”. (Lc 1, 45) É modelo de amor e doação, que se põe a caminho para servir a prima Isabel, que está a serviço e preocupada com os noivos nas Bodas de Caná. É a mãe terna que ampara e protege seus filhos e sempre nos aconselha para que sejamos fiéis a Jesus: “Fazei tudo o que Ele vos disser”. (Jo 2, 5)

O carinho do povo por Maria faz com que ela seja louvada de diferentes maneiras, com diversos títulos. É o cumprimento da profecia que fez em seu cântico do Magnificat: “Todas as gerações me chamarão bem- aventurada.” (Lc 1, 48) O importante é que esse amor não se reduza a devocionismos ou meras celebrações festivas, mas se concretize na vivência do evangelho de seu Filho Divino.

A verdadeira devoção a Maria se manifesta na imitação de suas virtudes, praticando os ensinamentos de Jesus. A verdadeira devoção, também, reconhece que Maria é importante, mas é a segunda no plano da salvação. O primeiro lugar pertence a Jesus.

Ressalte-se, também, que Maria é uma mulher que viveu plenamente sua feminilidade. Muitas vezes os louvores que lhe tributamos parecem ofuscar esta verdade: ela é uma mulher simples, humilde, engajada na vida do povo. Mulher pobre, da periferia, que viveu a migração e a exclusão. Mãe zelosa, que cuidou de Jesus com afeto e dedicação, trocando suas fraldas, ajudando-o a dar os primeiros passos, cuidando de sua roupa e alimentação, ensinando as lições da vida, enfim, fazendo o mesmo que nossas mães fazem. Mulher forte aos pés da cruz e ao receber em seus braços o corpo exangue de seu Filho querido.

Ela nos convida a rezar e a louvar: “Minha alma glorifica o Senhor e exulta meu espírito em Deus meu Salvador”. (Lc 1, 46-47) Mas também nos convida a empenhar na luta pela justiça, pela construção de um mundo novo, numa clara opção pelos pobres e marginaliza- dos, os seus filhos prediletos. Pois no seu cântico nos recorda de que lado Deus e ela estão: “Derruba do trono os poderosos e eleva os humildes; aos famintos enche de bens, e despede os ricos de mãos vazias.” (Lc 1, 52-53)

Maria é muito importante na vida de Jesus e deve ser também em nossa vida. Ela é a cristã autêntica, comprometida com o Reino de Deus, sempre dócil e obediente à vontade do Senhor. Modelo de Igreja, modelo para todos os cristãos.

Muitos já falaram das maravilhas espirituais de Maria. É preciso, também, que lembremos suas outras dimensões. O fundamental é proclamá-la mãe de Deus, da Igreja e de toda a humanidade. Proclamá-la como imaculada, pura, santa, mas também como pessoa forte, corajosa, que assumiu plenamente seu papel de mulher e de mãe.

Maria Mãe de Deus e nossa Mãe e Mãe da Igreja rogue por nós…..

Viva Nossa Senhoraaaa!!!!!!!!

O PODER DA ORAÇÃO

Muitos podem se perguntar por que devem rezar. Eu sempre digo: a oração não muda nada em Deus. Ele é Imenso, Todo-Poderoso, Todo-Misericordioso, continua sempre o mesmo. Mas nós, à medida que rezamos, sentimos tudo se transformar em nossa vida. Desde o mais íntimo do coração, a mudança se faz. Uma pessoa que ora, transforma a si, aos outros e o ambiente onde está cumprindo sua missão.

O Convite para uma Oração pode parecer um acontecimento simples, mas na verdade, é uma providência necessária, principalmente se compreendermos que rezar é conversar com DEUS, é abrir-LHE o coração para falar dos anseios, dos projetos, das dores, angústias e decepções do cotidiano.

Na oração, temos a oportunidade de pedir e solicitar ao SENHOR tudo o que necessitamos para a nossa existência: inspiração, discernimento, disposição, perseverança e tudo o que mais precisarmos para seguir com a missão que o SENHOR nos confiou.

Mas é importante lembrar que, rezar não é só para solucionar os problemas e dificuldades que surgem no cotidiano, mas sobretudo, para agradecer ao SENHOR, todos os bens que ELE nos concede independentemente de nosso merecimento pessoal. Por isso mesmo, tão importante como pedir, é saber agradecer, é dar graças a DEUS pelo êxito conseguido em cada jornada e em cada empreendimento de nossa trajetória, que nos ajudam a vencer com dignidade, os diferentes obstáculos de nossa caminhada existencial.

Mas a vida de oração não é nada fácil. Estão aí os grandes mestres de todos os tempos em nossa Igreja para nos ajudar.

Muitas vezes, as “noites escuras” de São João da Cruz se fazem presentes. Quem é que nunca passou por um deserto espiritual? Quem é que nunca se sentiu árido na vida de oração? Tudo isso faz parte da caminhada. O importante é perseverar e saber esperar. Santo Ignácio de Loyola fala de tempos de desolação. Mas temos também os tempos de consolação, afirma o mesmo santo [Ignácio]. Estes nos servem como reservatórios de céu… São aqueles momentos marcantes, nos quais a presença de Deus foi “sensível”, foi irrefutável…

Esses momentos ficam na memória do coração e nos reabastece por uma vida! Com Deus, devemos conversar como com um amigo! Aliás, para mantermos uma amizade, o diálogo contínuo se faz necessário. Quando deixamos de falar com alguém, deixamos o espaço de tempo sem encontro ser muito grande, perdemos a intimidade, perdemos o brilho da amizade. Da mesma forma, com o Senhor, temos que renovar nossa amizade e o carinho por Ele e pelos que são d’Ele todos os dias. O encontro diário deve ser agradável. Devemos “marcar encontros” efetivos e afetivos com Nosso Senhor e Amigo. Efetivos no sentido de cumprirmos verdadeiramente o horário e o lugar e, de preferência, sempre os mesmos.

Para realçar a importância da Oração, JESUS ao longo de sua caminhada existencial manteve um permanente diálogo com o ETERNO PAI, rezando diariamente, como se estivesse prestando contas de seu notável e maravilhoso desempenho na Missão que heroicamente cumpria, com perseverante obediência ao CRIADOR e numa exuberante demonstração de infinito amor à humanidade. No Novo Testamento existe uma grande quantidade de citações, que comprovam as muitas ocasiões em que ELE rezava, nos ensinando que é necessário manter um atencioso contato com o ETERNO PAI através da oração, como condição essencial para termos forças para agir e revelarmos a nossa obediência, a ternura de nosso afeto e o nosso amor, como afinal deve ser o comportamento de um filho carinhoso que ama o seu PAI. A seguir citaremos alguns versículos somente para confirmar como JESUS rezava:
“Tendo despedido (a multidão), subiu ao monte, a fim de orar a sós”.(Mt 14,23)
“De madrugada, estando ainda escuro, ELE se levantou e SE retirou para um lugar deserto. E ali orava”. (Mc 1,35)

“ELE, porém, permanecia retirado em lugares desertos, e orava”.(Lc 5,16)
“Assim falou JESUS e, erguendo os olhos ao Céu, disse (rezou): PAI, chegou a hora: glorifica teu FILHO, para que teu FILHO te glorifique,…”(Jo 17,1-26)

O Ato de Rezar é tão importante, que quando solicitado pelos Apóstolos à lhes ensinar a Rezar, o SENHOR nos deixou uma Oração muito especial, a Oração do “PAI NOSSO” que ELE Mesmo fez e na qual evidencia a necessidade do CRIADOR ser tratado como “nosso PAI” , que verdadeiramente ELE é.

Crie o seu tempo e espaço de oração. E afetivos, porque devem ser marcados pelo amor, acima de tudo, encontros de louvor e ação de graças. Essa experiência nos faz experimentar o céu, e mesmo quando as nuvens parecerem encobrir o brilho do Sol, no coração uma certeza permanecerá: o Sol sempre estará lá, com seu intenso brilho! A vida de oração nos faz perceber que onde parece não haver caminho para nós, Deus faz um. Quantos são os testemunhos neste sentido? “Orai sem cessar. Em todas as circunstâncias dai graças, porque esta é a vosso respeito a vontade de Deus em Jesus Cristo” (1Ts 5,17-18).