Conheça mais sobre o padre José Ricardo

Alegria e disposição são o que não vão faltar na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, no Jardim São Paulo. Isso porque, a Paróquia que já é conhecida pelas grandes celebrações que atraem centenas de pessoas da cidade e região, acaba de ganhar o reforço do Padre José Ricardo Costa, seu novo vigário paroquial.

Com uma alegria contagiante e familiaridade com o público jovem, o novo vigário tem 30 anos e a disposição de um menino: “Podem esperar de mim a disposição em querer conhecê-los e trabalharmos juntos para a edificação do Reino de Deus”, disse.

Nascido no dia 28 de abril de 1983, José Ricardo Costa nasceu em Vargem Grande do Sul.

Filho de José Paulo Costa (in memoriam) e Celi Aparecida Primo Costa tem apenas um irmão mais velho.

Entrou no seminário em 2003, na Casa de Formação São Paulo, em Caconde.  Depois, formou-se em Filosofia pelo Instituto Diocesano Coração de Maria e cursou mestrado na mesma área no Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, em Roma, onde também se formou em Teologia.

Foi ordenado sacerdote no dia 07 de setembro de 2012.

A Vocação

Questionado sobre como percebeu sua vocação, o Padre. respondeu: “A vida em comunidade sempre me ajudou muito a discernir minha vocação e a presença nas ações pastorais me fizeram reconhecer a voz do Senhor, que me chamava a segui-lo

Sobre a posição da família diante do chamado de Deus, ele comentou: “Minha família teve sempre uma posição muito admirada por mim, pois nunca me obrigaram, nem reprimiram em minhas escolhas. Via sempre o incentivo silencioso, mas forte dos meus pais. A alegria deles quando disse ‘sim’ a essa vocação, foi algo que sempre me ajudou muito”, disse.

O sacerdote contou também sobre a família e sua infância: “Minha família sempre foi de frequência e perseverança na Igreja Católica. Recebi desde pequeno uma educação nos valores cristãos e incentivo para a vida na comunidade. Desde pequeno fui atuante como coroinha na Paróquia Sant’Ana. Na adolescência ajudei nas pastorais da Catequese e Liturgia em minha Comunidade Santa Edwiges, além de frequentar e coordenar a Pastoral dos Adolescentes”.

Devoto de Nossa Senhora Aparecida e Santa Edwirges, o Padre tem como hobby ler e ouvir música. Ele disse também, querer ser lembrado como um padre feliz com sua vocação, e que fez a experiência de ser acolhido por Deus mesmo com suas imperfeições e, por isso, também acolhe a todos para a experiência com Deus.

Sobre o que espera da comunidade ele esclareceu: “A Paróquia tem-se mostrado muito acolhedora e feliz com minha chegada. Espero corresponder a essas expectativas e crescermos juntos, sendo sempre discípulos e missionários de Cristo”.

BATE BOLA

·Ser padre é…..

É o melhor de Deus pra mim.

·Fé…

É simplesmente crer e se abandonar.

·Oração….

É comunicação com Deus

·Deus….

É tudo de bom

 

Lema Sacerdotal: A caridade de Cristo nos impele.  “Caritas Christi urget nos” (2Cor 5,14).

Pe. Marcos prepara 2ª Caravana à Terra Santa

A Pe. Marcos Antonio Campanhari, pároco da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, no Jardim São Paulo, está promovendo a viagem dos sonhos de muitos católicos. Uma viagem de 12 dias pela Terra Santa. O roteiro inclui passeios por Roma, Egito e Israel, onde os fiéis conhecerão o Vaticano, o Mar da Galileia, o Mar Morto, o Túmulo de Jesus, o Monte Sinai, a Igreja da Natividade, entre outros.

A viagem será na 1° quinzena de Dezembro de 2014 e custará R$7.390,00 (à vista), que deverão ser pagos, exclusivamente, para a Agência Ahava Tur, que é a agência responsável pela viagem.

Segundo a Agência, o pagamento poderá ser feito em até 23 vezes sem juros, sendo: 11x de R$400,00 pelo boleto bancário (com início do pagamento para janeiro) e mais 12 parcelas no cartão de crédito, com início do pagamento em março de 2015 no valor de R$250,00.

Os interessados devem se cadastrar pelo e-mail: sagradocoracaodejesus.sjbv@gmail.com

Estão inclusos no passeio: Passagem aérea ida e volta com todas as taxas inclusas – saindo de Guarulhos ou Galeão; Hotéis; Meia pensão – Café da manha e Jantar – exceto em Roma; Ônibus luxo; City tour diário com as entradas inclusas; Guia local falando português; Kit Ahava Tur (mochila e boné); Seguro viagem e Acompanhante AhavaTur desde o Brasil.

Pe. Marcos Antonio Campanhari completa 14 anos de sacerdócio com missa especial

Em uma missa especial, que será realizada nesta quarta-feira, dia 18 de dezembro, às 19h30, na igreja matriz do Sagrado Coração de Jesus, o pároco Pe. Marcos Antonio Campanhari irá celebrar junto aos fiéis seus 14 anos de sacerdócio.

O aniversário de sacerdócio do Padre é no dia 17, mas o pároco decidiu comemorar no dia 18, quando já estava marcada a missa da Mãe e Rainha.

Pe. Marcos nasceu no dia 04 de abril de 1969 em Espírito Santo do Pinhal/SP, mas foi em Albertina/MG que passou a infância e juventude ao lado dos pais, irmãos e amigos.

O interesse pelo sacerdócio surgiu ainda criança, enquanto observava o padre de sua paróquia que lhe parecia uma pessoa‘diferente’, “Desde pequeno eu sempre falava que queria ser padre. Tinha um em Albertina, o Monsenhor Vieira, que usava batina preta, mesmo depois que o Concílio permitiu que não fossem mais usadas, ele continuava a usar a batina e eu a achava a coisa mais bonita do mundo”.   Mas não era só a vestimenta do sacerdote que lhe chamava a atenção, Monsenhor Vieira demonstrava amar o trabalho que realizava e isso o tornava diferente e especial aos olhos do pequeno garoto. “Ele chamava atenção, vivia com o bolso da batina cheio de bala e quando me via me entregava. Eu o achava uma pessoa legal, diferente e, também desejei ser assim”.

Vocação

Já na adolescência a vocação parecia adormecida, até que a ordenação de um padre na pequena Albertina/MG emocionou o jovem: “Aquela celebração reacendeu no meu coração a vontade de ser padre e decidi ir para o Seminário”. E a decisão exigiu ainda mais vontade, já que o ofício não era bem visto pelos pais que pouco frequentavam a Igreja.

No Seminário de Pouso Alegre/MG, Marcos cursou Filosofia por quase três anos, até que, duvidou que aquela fosse mesmo o ofício para o qual desejava se dedicar por toda a vida e voltou a Albertina.

Na cidade onde se criou, cursou Direito e no período letivo conheceu Monsenhor Augusto, que veio a se tornar um grande amigo e a quem confidenciou a vontade de ser padre. Precavido, Monsenhor Augusto orientou que se o desejo persistisse ao término do cursoo procurasse. E foi o que fez o jovem Marcos, tendo a certeza de que essa era sua verdadeira vocação.

Com o apoio do Monsenhor entrou para o Seminário de São João, concluiu a graduação em Teologia e foi ordenado padre no dia 17 de dezembro de 1999.

Paróquia celebra ‘Hora da Graça’ no domingo (08/12) ao meio-dia

Pontualmente ao meio-dia deste domingo, dia 08 de Dezembro, a comunidade da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus celebra na Igreja Matriz a ‘Hora da Graça’. A celebração consiste em reunir-se na Igreja para orações especiais durante uma hora, para conseguir o dom da conversão e da santificação, em honra à Imaculada Conceição.

Como preparação para o dia 08 de Dezembro, Nossa Senhora indicou o que deveria ser feito Oração e Penitência.

 A Hora da Graça

Nossa Senhora manifestou-se a Pierina Gilli uma (1911 – 1991), religiosa italiana do Instituto da Servas da Caridade, em Montichiari, desejando ser chamada de Rosa Mística.

Na aparição do dia 08 de dezembro de 1947, Nossa Senhora disse-lhe: “Desejo que todo ano, no dia 8 de dezembro, realize-se a HORA DA GRAÇA UNIVERSAL. Com essa prática, serão alcançadas numerosas graças espirituais e corporais”.

Nossa Senhora disse também a Pierina Gilli nessa mesma ocasião: “Mesmo àqueles que não puderem ir às Igrejas e permanecerem rezando em suas casas ao meio-dia, concederei muitas graças”.

E pediu que o seu desejo da instituição da Hora da Graça fosse manifestado ao Papa Pio XII, a fim de que essa devoção fosse espalhada pelo mundo.

A Hora da Graça será um evento com grandes e numerosas conversões. Tudo isso tu falarás pessoalmente… Para o dia 08 de dezembro, preparem-se com oração e penitência. Rezem três vezes ao dia (por estes nove dias de preparação, ou) todos os dias , o salmo 50, Miserere, de braços abertos… Almas endurecidas, gélidas como mármore, serão atingidas pela Graça Divina… 

Oração

“Conceição Imaculada de Maria, por todos os Vossos méritos, abri as portas do Vosso Coração e deixai espalhar pelo mundo todo, graças incontáveis, repletas de bênçãos espirituais e temporais” (Fazer os pedidos).

Reza-se em seguida:

  • 7 Ave-Marias em honra das 7 dores do Coração Imaculado.
  • 3 Glórias ao Pai em honra da Santíssima Trindade intercaladas com: Rosa Mística, rogai por nós.

É Tempo do Advento

A palavra “advento” tem origem latina e significa “chegada”, “aproximação”, “vinda”. No Ano Litúrgico, o Advento é um tempo de preparação para a segunda maior festa cristã: o Natal do Senhor. Neste tempo, celebramos duas verdades de nossa fé: a primeira vinda (o nascimento de Jesus em Belém) e a segunda vinda de Jesus (a Parusia). Assim, a Igreja comemora a vinda do Filho de Deus entre os homens (aspecto histórico) e vive aalegre expectativa da segunda vinda d’Ele, em poder e glória, em dia e hora desconhecidos (aspecto escatológico).

Como se estrutura o Tempo do Advento

O tempo do Advento não tem um número fixo de dias e depende sempre da solenidade do Natal. Ele começa na tarde (1ª Vésperas) do primeiro domingo após a Solenidade de Cristo Rei e se desenvolve até o momento anterior à tarde (1ª Vésperas) do Natal. Ele possui quatro semanas e, por isso, quatro domingos celebrativos. O terceiro domingo do Advento é chamado de domingo da alegria (gaudete, em latim) por causa da antífona de entrada da missa (Alegrai-vos sempre no Senhor), mostrando a alegria da proximidade da celebração do Natal. O tempo do Advento se divide em duas partes. A primeira, que vai até o dia 16 de dezembro, é marcada pela espera alegre da segunda vinda de Jesus. A segunda, os dias que antecedem o Natal, se destaca pela recordação sobre o nascimento de Jesus em Belém.

As figuras Bíblicas principais do Advento

Dois personagens bíblicos ganham destaque na celebração do Advento: Maria e João Batista. Ela porque foi escolhida por Deus para ser a mãe do Salvador, e ele porque foi vocacionado a ser o precursor do Messias. Ela se torna modelo do coração que sabe acolher a Palavra e gerar Jesus. Ele se torna modelo de uma vida que sabe esperar nas promessas de Deus e agir anunciando e preparando a chegada da salvação. Em ambos se manifesta a realização da esperança messiânica judaica e o anúncio da plenitude dos tempos.

“Atentos e vigilantes”

A espiritualidade do Advento é marcada por algumas atitudes básicas: a preparação para receber o Cristo; a oração e a vivência da esperança cristã. A preparação para receber o Senhor se dá na vivência da conversão e da ascese. Precisamos ter um olhar atento sobre nós e a realidade que nos cerca e nos empenharmos para correspondermos com a ação do Espírito de Deus que quer restaurar todas as coisas. O nosso relacionamento com o nosso corpo e os nossos afetos, com nossos familiares e pessoas íntimas, nossa participação na vida eclesial e social devem estar no foco de nossa atenção. A preparação para celebrar o Natal demanda uma confissão sacramental bem feita e um propósito firme de renovação interior.

“Orai a todo momento”

Este tempo é marcado por uma vivência mais profunda da vida de oração. A leitura orante deste período nos coloca em contato com as profecias de salvação do Antigo Testamento, com a expectativa que os cristãos da Igreja primitiva tinham da Parusia e com os eventos principais que antecederam o nascimento de Jesus. A recordação dos eventos que antecederam a primeira vinda de Cristo se torna a base da preparação da Igreja para o novo Advento do Senhor. A Santa Missa e a Liturgia das Horas são os principais momentos celebrativos. Os exercícios de piedade, como a oração e a meditação dos mistérios gozosos do Rosário, a oração do Angelus Domini e a Novena de Natal podem ser um caminho feliz para a vivência da oração comunitária neste tempo.

“Para ficardes em pé diante do Filho do Homem”

Cada um de nós, apesar do pecado e do mal que nos cerca, deve desejar sempre mais a felicidade, aceitando que, em última análise, ela é o Reino dos Céus, a vivência em comunhão plena e eterna com Deus. Para isto é necessário vivermos dirigindo nossa vida para esta meta, colocando nossas forças no socorro da graça do Espírito Santo. Deus já nos criou desejando a felicidade. Contudo, por causa do pecado, vamos procurando nas criaturas aquela completude que só pode ser vivida na comunhão com o Criador. O Advento nos propõe entendermos todas as coisas na sua relação com Deus e usarmos elas como meios de estarmos com Ele, colocando nossa esperança nas realidades que não passam.

 

Fonte: Arquidiocese do Rio de Janeiro