Paróquia do Sagrado Coração de Jesus atrai mais de 13 mil pessoas ao ‘Cerco de Jericó’

Mais de 13 mil pessoas celebraram o ‘Cerco de Jericó’ na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em São João da Boa Vista, entre os dias 12 e 19 de outubro. Já tradicional na Paróquia, o Cerco costuma atrair fiéis de toda a região em busca de bênçãos e graças.

Convidados a 24 horas de adoração, os fiéis se revezaram ao longo de toda a semana, inclusive nas madrugadas, para rezar diante do Santíssimo Sacramento que permaneceu exposto, na igreja Matriz, no Jardim São Paulo. Foram, ao todo, quase 170 horas de oração e as missas duraram, em média, 3 horas, mas nada que tirasse o ânimo dos fiéis que acompanharam atentamente cada momento das celebrações.

 Presididas pelo pároco Pe. Marcos Antônio Campanhari e pelo vigário Pe. José Ricardo Costa, as missas tiveram bênçãos específicas e, igualmente acompanhadas com entusiasmo pela comunidade, que mesmo tendo que ficar do lado de fora da igreja, devido ao grande volume de pessoas, não deixou de se participar.

 E se o envolvimento da comunidade ao longo de toda a semana emocionou, o encerramento do Cerco de Jericó foi inesquecível. Isso porque, não bastasse toda a interiorização das missas, no último dia os fiéis tiveram que improvisar: uma queda de energia fez com que eles garantissem, sem a ajuda do coral, que cada música de louvor fosse seguida.

Emoção externada pelo pároco Marcos Antonio Campanhari, que fez questão de agradecer a comunidade pelo envolvimento e garantiu que em 2015 a festa será ainda mais bonita.

O vigário, Pe. José Ricardo Costa que participava pela 1ª vez das celebrações, também agradeceu a presença dos fiéis e endossou a fala do pároco, se colocando à disposição para o próximo ano.

O CERCO

Cerco de Jericó é uma campanha de sete dias e sete noites de oração diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento. Sua inspiração mais remota encontra-se no capítulo 6 do livro de Josué.

O texto sagrado conta que antes de chegar á terra prometida, o povo de Israel se viu diante das grandes muralhas de Jericó que o impediam de prosseguir a caminhada. Obedecendo a voz de Deus, Josué convidou os israelitas a orarem durante sete dias e sete noites rodeando as muralhas de Jericó, tendo a frente a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus.

Josué e os Israelitas acreditaram na promessa divina de que no sétimo dia durante a sétima volta, as muralhas cairiam e eles alcançariam a vitória, coisa que de fato aconteceu.

 

Paróquia celebra o dia de São Francisco de Assis

O Dia de São Francisco de Assis foi celebrado com festa, no dia 04 de outubro, na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus. Na ocasião, o padre José Ricardo Costa abençoou os animais de estimação trazidos pelos fiéis na entrada da igreja Matriz.

A pastoral da catequese também se fez presente com a encenação da vida do santo, protetor dos animais.

Conheça um pouco mais sobre a vida de São Francisco de Assis

Francisco nasceu em Assis, na Úmbria (Itália) em 1182. Jovem orgulhoso, vaidoso e rico, que se tornou o mais italiano dos santos e o mais santo dos italianos. Com 24 anos, renunciou a toda riqueza para desposar a “Senhora Pobreza”.

Aconteceu que Francisco foi para a guerra como cavaleiro, mas doente ouviu e obedeceu a voz do Patrão que lhe dizia: “Francisco, a quem é melhor servir, ao amo ou ao criado?”. Ele respondeu que ao amo. “Porque, então, transformas o amo em criado?”, replicou a voz. No início de sua conversão, foi como peregrino a Roma, vivendo como eremita e na solidão, quando recebeu a ordem do Santo Cristo na igrejinha de São Damião: “Vai restaurar minha igreja, que está em ruínas”.

Partindo em missão de paz e bem, seguiu com perfeita alegria o Cristo pobre, casto e obediente. No campo de Assis havia uma ermida de Nossa Senhora chamada Porciúncula. Este foi o lugar predileto de Francisco e dos seus companheiros, pois na Primavera do ano de 1200 já não estava só; tinham-se unido a ele alguns valentes que pediam também esmola, trabalhavam no campo, pregavam, visitavam e consolavam os doentes. A partir daí, Francisco dedica-se a viagens missionárias: Roma, Chipre, Egito, Síria… Peregrinando até aos Lugares Santos. Quando voltou à Itália, em 1220, encontrou a Fraternidade dividida. Parte dos Frades não compreendia a simplicidade do Evangelho.

Em 1223, foi a Roma e obteve a aprovação mais solene da Regra, como ato culminante da sua vida. Na última etapa de sua vida, recebeu no Monte Alverne os estigmas de Cristo, em 1224.

Já enfraquecido por tanta penitência e cego por chorar pelo amor que não é amado, São Francisco de Assis, na igreja de São Damião, encontra-se rodeado pelos seus filhos espirituais e assim, recita ao mundo o cântico das criaturas. O seráfico pai, São Francisco de Assis, retira-se então para a Porciúncula, onde morre deitado nas humildes cinzas a 3 de outubro de 1226. Passados dois anos incompletos, a 16 de julho de 1228, o Pobrezinho de Assis era canonizado por Gregório IX.

São Francisco de Assis, rogai por nós!

Hoje é dia de Santa Terezinha do Menino Jesus

Santa Teresinha do Menino Jesus – Intercessora dos Missionários

“Não quero ser santa pela metade, escolho tudo”.

A santa de hoje nasceu em Alençon (França) em 1873 e morreu no ano de 1897. Santa Teresinha não só descobriu que no coração da Igreja sua vocação era o amor, como também sabia que o seu coração – e o de todos nós – foi feito para amar. Nascida de família modesta e temente a Deus, seus pais (Luís e Zélia) tiveram oito filhos antes da caçula Teresa: quatro morreram com pouca idade, restando em vida as quatro irmãs da santa (Maria, Paulina, Leônia e Celina). Teresinha entrou com 15 anos no Mosteiro das Carmelitas em Lisieux, com a autorização do Papa Leão XIII. Sua vida se passou na humildade, simplicidade e confiança plena em Deus.

Todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, oferecia a Deus pela salvação das almas e na intenção da Igreja. Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face esteve como criança para o Pai, livre, igual a um brinquedo aos cuidados do Menino Jesus e, tomada pelo Espírito de amor, que a ensinou um lindo e possível caminho de santidade: infância espiritual.

O mais profundo desejo do coração de Teresinha era ter sido missionária “desde a criação do mundo até a consumação dos séculos”. Sua vida nos deixou como proposta, selada na autobiografia “História de uma alma” e, como intercessora dos missionários sacerdotes e pecadores que não conheciam a Jesus, continua ainda hoje, vivendo o Céu, fazendo o bem aos da terra.

Morreu de tuberculose, com apenas 24 anos, no dia 30 de setembro de 1897 dizendo suas últimas palavras: “Oh!…amo-O. Deus meu,…amo-Vos!”

Após sua morte, aconteceu a publicação de seus escritos. A chuva de rosas, de milagres e de graças de todo o gênero. A beatificação em 1923, a canonização em 1925 e declarada “Patrona Universal das Missões Católicas” em 1927, atos do Papa Pio XI. E a 19 de outubro de 1997, o Papa João Paulo II proclamou Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face doutora da Igreja.

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!