O poder terapêutico do perdão

fotografiareligiosa_1561516075 (1)Ao fazer a leitura orante do Evangelho do dia 09 de março, deparei-me com o diálogo do apóstolo Pedro com Jesus (Mt 18, 21-35), que insistentemente pergunta ao mestre quantas vezes se deve perdoar, como bem elucida o seguinte versículo: “Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: ‘Senhor, quantas devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?’ (Mt 18, 21). Passagem essa bem conhecida por todos nós, sabemos a resposta de Jesus diante da indagação de Pedro: “Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mt 18, 22).

Judeu ortodoxo que era, Pedro fica preso na questão quantitativa, pois para um judeu genuíno, três vezes era o limite máximo para dar ou receber o perdão. Mais que isso, seria abuso. Porém, ao responder “setenta vezes sete”, Jesus utiliza-se de uma hipérbole, para sinalizar que o perdão nunca deve se enquadrar na lógica quantitativa, pois ele deve ser praticado de forma infinita e ilimitada. Ao rezar esse Evangelho, pude constatar por experiência própria, o poder terapêutico do perdão, pois ao longo de nossa caminhada, corremos o risco de trazer no coração pessoas e fatos que de certa forma nos causaram muitos traumas e decepções, seja por calúnias, contendas e difamações veladas ou até mesmo por agressão física, psicológica ou verbal.

Percebi em minhas orações, o quanto é nocivo e tóxico alimentarmos sentimento de ódio, raiva ou vingança para com todos os nossos algozes, pois de fato, como fora comprovado pela ciência, pessoas que guardam ressentimento, vão se deprimindo e desenvolvendo patologias das mais variadas espécies, a saber: noites de insônia, depressão, pânico, desmotivação, possessividade, tristeza interior, fobia social (fechar-se dentro de casa para não se encontrar com ninguém), entre outras doenças psíquicas e espirituais que vão somatizando no corpo, ocasionando o surgimento inclusive de doenças físicas: coceira excessiva, dores nas costas, náuseas, dores de cabeça, hipocondria (uso excessivo de medicamentos), emagrecimento abrupto e repentino, manchas no corpo, falta de apetite, entre outras manifestações que apontam que algo em nós não vai bem. Tudo isso vem de encontro com a afirmação contundente de Shakespeare: “O ódio ou a raiva é um veneno que tomamos, esperando a morte do outro”.

formacao_nossa-religiao-gira-em-torno-da-pascoa-artigo-768x576Diante esse quadro sombrio e nefasto, descobri nesse tempo de padre e atendendo as pessoas em minha prática pastoral, que a falta de perdão é extremamente ruim para cada um de nós e é a principal causa do surgimento das diversas doenças elencadas anteriormente. Em contrapartida, quando perdoamos de coração, aqueles ou aquelas que nos causaram algum dano, mesmo que fora de forma injusta, nós nos tornamos mais alegres, livres para amar e irremediavelmente mais saudáveis espiritualmente, psiquicamente e fisicamente. Isso nos leva a concluir que o perdão, não só desamarra o réu ou o algoz, que prejudicou o irmão de alguma forma, mas torna-se eficaz ferramenta de cura e libertação principalmente para aquele que toma a iniciativa do perdão.

É belíssimo observar, por exemplo, a atitude do Papa Francisco, que na esteira de seu inspirador Francisco de Assis, aproveita-se em suas viagens apostólicas por países de origem muçulmana, para aproximar-se e pedir perdão aos islâmicos, por todo mal que o Cristianismo causou a eles no período das Cruzadas. Ou para ser mais emblemático, quem não se lembra, da coragem do Papa São João Paulo II, em solicitar o perdão às famílias de crianças infelizmente abusadas sexualmente por alguns sacerdotes ao redor do mundo? Como diz meu amigo Padre Celso Abreu de Jesuz: “A amizade é uma possibilidade, mas o perdão é uma necessidade”. Necessidade tanto para quem pede, quanto para quem recebe o perdão.

Dito isso, deixo aqui algumas indagações: Nesta quaresma, você já realizou um sincero exame de consciência a fim de descobrir quais os fatos, situações ou pessoas que te causaram mal e precisam ser perdoados e libertados? Já se organizou a fim de procurar um padre para fazer uma boa confissão e se libertar de suas amarras internas (falta de perdão) que estão te deixando doente? Pense nisso. Por hora, é isso. Paz e bem!

Padre Adriano Brito Maia, OFS.

 

São José: homem do silêncio e da confiança

WhatsApp Image 2021-03-18 at 12.20.04No último dia 08 de dezembro de 2020, Solenidade da Imaculada Conceição, Sua Santidade o Papa Francisco, em comemoração aos 150 anos em que São José foi proclamado Padroeiro Universal da Igreja Católica, pelo Papa Pio IX no mesmo dia do ano de 1870, decide por mercê de Deus, instituir o Ano de São José, que findará no próximo dia 08 de dezembro de 2021.

Ao consultar com acuidade a Sagrada Escritura, nota-se imediatamente que muito pouco se fala do pai adotivo de Jesus. Fatos, por exemplo, mais pormenorizados de sua vida e morte, pouco ou nada se diz. Isso demonstra de forma imediata, que São José, apesar de ter o mesmo papel de Maria, sua esposa, no mistério da salvação, ao dizer “Fiat” (faça-se), ou seja, ao dizer sim, é um
personagem que aparece nos escritos bíblicos de forma discreta, singela e silenciosa. É de se observar, a obediência silenciosa de José, que sente na obrigação em acolher Maria como sua esposa, nas quatro aparições que o anjo lhe faz, seguido do imperativo: “Não temas” ou “levanta-te” (Mt 1, 20-21 e Mt 2, 13-23). Diante do mandato do anjo em sonho, José nunca questiona ou reclama das ordens
divinas, mas ao contrário, aceita de forma silenciosa e casta (desapegada), pois “o seu silêncio persistente não inclui lamentações, mas sempre gestos concretos de confiança”, como vai afirmar o Papa Francisco em sua Carta Apostólica Patris Corde.

Além de ser um homem silencioso e discreto, uma outra característica que nos salta os olhos, ao contemplar as poucas passagens bíblicas que tratam de são José, é a sua confiança. Diante das várias vicissitudes ou contrariedades que o pai adotivo de Jesus encontrou, como por exemplo, ao chegar em Belém, e não encontrar uma hospedaria para alojar a sua esposa para dar a luz ao seu filho, José não se desesperou e muito menos se enfureceu, mas confiou em Deus que criativamente providenciou a ele e a sua esposa, um estábulo, mais propriamente dito um cocho, para acolher o menino Deus (Lc 2, 6-7). Diante desse fato, ocorrido na vida da Sagrada Família de Nazaré, aprendemos com São José, que muitas coisas que ocorrem em nossa vida, e que muitas vezes nós não compreendemos ou entendemos de imediato o seu significado, devemos com confiança acolher e aceitar, nunca com resignação ou assumindo uma postura de conformidade e vitimização, mas aceitar com maturidade e responsabilidade os desígnios de Deus que conduz a nossa história e nos faz nos reconciliar com ela, a fim de que sejamos homens e mulheres mais saudáveis e livres, pois nas palavras do próprio Papa Francisco: “Às vezes, são precisamente as dificuldades que fazem sair de cada um de nós recursos que nem pensávamos ter” (Patris Cordes).

Acolher ou aceitar com confiança e paciência, realidades muitas vezes hostis ou contrárias aos nossos projetos ou sonhos particulares, nos faz desenvolver o dom da fortaleza. Tornamo-nos mais compreensíveis e resilientes, ou seja, a cada contratempo, desilusão ou frustração que enfrentamos, saímos mais fortalecidos, encorajados, preparados e seguros em nosso sentimento de autoestima, para
desafios ainda maiores que ocorrerão futuramente. Enfim, que São José, padroeiro universal da Igreja Católica e protetor dos
trabalhadores e trabalhadoras, cultive em nós valores tão sublimes como o silêncio e a confiança em tempos tão incertos e instáveis como estamos vivendo. Valei-me São José!

Padre Adriano Brito Maia, OFS.

Uma vida dedicada a revelar a bondade de Deus 

Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Cópia de Sem nomeRevelar a bondade de Deus a todos. É assim que o padre Adriano Brito Maia pretende conduzir os trabalhos na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, para a qual foi recentemente nomeado vigário paroquial.Padre é o homem da escuta e do serviço. Devemos revelar, principalmente, aos mais necessitados, a face bondosa e misericordiosa de Deus que é Pai, mas nos ama com amor de Mãe”, disse.

Em São João, irá conciliar seu trabalho na paróquia com a função de assessor diocesano da Pastoral Carcerária e da Sobriedade, além de atuar como docente na Rede Pública e no Instituto de Teologia e Filosofia São Francisco de Assis (INTEFISA), em Mococa/SP.

Pronto para o serviço e com o objetivo de preencher os corações de seus novos paroquianos da bondade e do amor que só Deus pode conceder, padre Adriano tem como lema sacerdotal a frase: “Deus é Bom”, e pelas paróquias onde passou demonstrou interesse e muito carinho em servir as pastorais sociais como, Pastoral da Criança, Pastoral da Saúde, Pastoral do Alimento, entre outras.

Filho adotivo de Antônio Tadeu Martins e Guiomar Modesto Alves, o Padre é paulistano e nasceu no dia 20 de maio de 1987.

Se formou no curso técnico em Administração e Contabilidade, em Mogi Guaçu/SP, e optou pela vida religiosa em 2007, aos 20 anos, quando ingressou no Seminário Coração de Maria, em São João da Boa Vista/SP. 

Quatro anos depois, concluiu a licenciatura plena em Filosofia, pela Faculdade Entre Rios do Piauí (FAERPI). Seguindo as normas da formação sacerdotal da Diocese, em 2011 se mudou para o Seminário São João Maria Vianney, em Mogi-Guaçu/SP, e ingressou no curso de Teologia, pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC), onde recebeu o certificado de Reconhecimento pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) de bacharel em Teologia, em 2016.

Ordenado sacerdote em 2017, na Paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Mogi-Guaçu/SP, iniciou seu sacerdócio na Paróquia São João Batista, no bairro do Itaqui, na mesma cidade e, em 2019, foi transferido para desempenhar suas atividades pastorais na Paróquia Santa Luzia, em Mococa/SP, onde permaneceu por mais de dois anos até ser transferido para São João da Boa Vista/SP.

Sagrado Coração de Jesus anuncia programação do Cerco de Jericó 2020

fotografiareligiosa_1595810678“Vinde a mim vós todos que estais sob o fardo e eu vos aliviarei”. É com essa mensagem especial neste momento tão difícil pelo qual passamos, que a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus anuncia a programação do Cerco de Jericó 2020. O Cerco, já tradicional na paróquia, e que chegou a reunir mais de 10 mil pessoas, será realizado entre os dias 18 e 25 de outubro, às 19h30, na Igreja Matriz, no Jardim São Paulo. Neste ano a Adoração ao Santíssimo será apenas entre as 21h e 23hs de cada dia.

As senhas para participar entre os dias 18 e 21/10 deverão ser retiradas a partir do dia 14 de outubro, entre 9h e 12hs, na secretaria paroquial. Quem deseja participar entre os dias 22 e 25 poderá retirar as senhas a partir do dia 21, também entre 9h e 12h, na secretaria paroquial.

Quem não conseguir participar presencialmente poderá acompanhar as celebrações pela página da Paróquia no Facebook. As missas não serão transmitidas pela Rádio Anúncio.

 

PROGRAMAÇÃO

18/10 – Domingo Abertura do Cerco
Tema: O fruto da Paz dado pelo Espírito Santo
Pregador: Pe. Donato
Benção especial: Por todos que acompanharão o Cerco de forma presencial ou pelas redes sociais e por suas intenções particulares.

Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21h às 22h – RCC
22h às 23h – Apostolado do Oratório, MEP’s, Liturgia, Ornamentação e São Cristóvão

 

19/10 – Segunda-feira – Em louvor a São José
Tema: A elaboração do Luto
Pregador: Pe. Donato
Benção especial: Pelas pessoas enlutadas

Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21h às 22h – RCC
22h às 23h – Terço dos Homens, Acolhida, Pascom e São Francisco

 

20/10 – Terça-Feira – Anjos da Guarda
Tema: A experiência da esperança
Pregador: Pe. Ricardo
Benção especial: gestantes, crianças e adolescentes

Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21h às 22h – RCC
22h às 23h – Catequese, Adolescentes, Dízimo, Mil Ave Marias, Vicentinos

 

21/10 – Quarta-feira – Espírito Santo – Cura e Libertação
Tema: O sentimento de depressão e angústia
Pregador– Raphael (Comunidade Presença – São José R. Pardo)
Benção especial: Enfermos, Idosos e Profissionais da Saúde

Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21h às 22h – RCC
22h às 23h – Mãe Rainha, Pastoral Familiar, Pastoral da Saúde

 

22/10 – Quinta-feira – Louvor a Nossa Senhora

Tema: A vivência da alegria
Pregadora: Sandra
Benção especial: Por todos os membros de pastorais e movimentos

Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21h às 22h – RCC
22h às 23h – Batismo, Canto Litúrgico, Past. Da Criança, Maria Mãe da Igreja, Mães que oram pelos filhos

 

23/10 – Sexta-feira – Cruz Gloriosa e Jesus Misericordioso
Tema: Sobre a experiência do Medo
Pregador – Lucimar Maziero (Comunidade Presença – São José R. Pardo)
Benção especial: Pelos trabalhadores e desempregados
Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21 às 22h – RCC
22 às 23h – MESC’s, Apostolado da Oração e Comunidade. Santa Izabel

 

24/10 – Sábado – Sagrada Família
Tema: O dom da Fortaleza
Pregador: Pe. Ricardo
Benção especial: Pelas famílias, noivos e namorados
Adoração ao Santíssimo Sacramento:
21 às 22h – RCC
22 às 23h – Jovens e Acólitos

 

25/10 – Domingo – Encerramento do Cerco
Tema: A experiência do Amor, o dom por excelência
Pregador: Pe. Donato
*Sete voltas e Benção do Santíssimo Sacramento

Paróquia retoma gradualmente atividades pastorais

fotografiareligiosa_1561516075 (1)A Paróquia do Sagrado Coração de Jesus está retomando suas atividades pastorais de forma gradual e cautelosa. Para isso, está seguindo todas as recomendações da OMS – Organização Mundial da Saúde, como a obrigatoriedade do uso de máscaras e a disponibilização de álcool em gel, além da limitar a quantidade de pessoas dentro da Igreja.

As missas estão sendo celebradas de segunda a sábado, ás 19h30. No domingo as celebrações são ás 7h, 10h, 17h e 19h30.

Apenas necessita a retirada de senha para as missas realizadas aos finais de semana. Elas podem ser buscadas na secretaria paroquial a partir de terça-feira entre 9h e 11h.

Quem não puder comparecer às celebrações tem a opção de acompanhar as transmissões pelo Facebook e pela Rádio Anúncio.

As missas de segunda, quarta e sexta serão transmitidas apenas no Facebook e no sábado a transmissão será feita pelo Facebook e pela Rádio Anúncio FM. No domingo a transmissão também ocorre em ambos os canais, mas apenas as missas das 10h e das 19h30.

As confissões estão sendo feitas aos sábados, entre 9h e 11h.

Venham rezar conosco!

Coração de Jesus promove a Semana da Família

67640866_2333211423412318_1692504593964990464_oA Paróquia do Sagrado Coração de Jesus promove entre os dias 12 e 18 de agosto sua tradicional Semana da Família. Durante toda a Semana, padres convidados falarão sobre diversos temas, na igreja Matriz da Paróquia, nas missas das 19h30, exceto no domingo, que será às 19 horas.

Entre os convidados, o pároco Padre Donato Fidanza, destacou o Ir. Rodrigo, da Comunidade Deus Proverá, que encerra a Semana com o tema proposto pelo Papa Francisco, E a família, como vai?

O tema deste ano é uma retomada da reflexão que marcou a Campanha da Fraternidade de 1994. Ao voltar ao passado e ver o quanto a Pastoral Familiar já cresceu, percebe-se que a família busca e precisa aprofundar cada vez mais a sua missão na Igreja e na sociedade para conquistar um papel decisivo e central.

Esse desejo de estar no centro das ações eclesiais aparece neste Hora da Família, ligando-o à Iniciação à Vida Cristã, às Políticas Públicas, ao envolvimento com as questões contemporâneas da vida urbana e à missão em meio a outras famílias.

 

 

Vem aí a Quermesse do Sagrado Coração de Jesus

13241405_1038365769563563_4997374946138152871_nEstão a todo vapor os preparativos para a melhor quermesse de São João da Boa Vista, que será realizada no salão de festas da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, no jardim São Paulo. A festa começa no último fim de semana de maio (25 e 26/05) e segue em todos os finais de semana seguintes até o dia 16 de junho. Estão programados shows com Du Ambar (25/05), Liberali e Alexandro (26/05), Baiano e Baianinho (1 e 2/06 / 8 e 9/06) e Liberali e Alexandro (15 e 16/06).

Novena

A Novena ao Padroeiro Sagrado Coração de Jesus será  de 19 a 27 de junho, de segunda a sábado, às 19h30, e aos domingos às 19h.

A missa festiva está marcada para o dia 28 de junho, às 19h30.  No dia 29 tem procissão saindo da Igreja Maria Mãe da Igreja, às 18hs, e seguindo até a matriz onde haverá missa.

Vale lembrar que entre os dia 28 e 30 será vendido o Bolo do Sagrado Coração de Jesus.

O Sagrado Coração de Jesus espera por você!

Dia 23 (sábado) acontece a 2ª Noite de Comida de Boteco

52033832_2248841385168831_8731998662609076224_nForam vendidos todos os ingressos da 2ª Noite de Comida de Boteco, que será realizada à partir das 20 horas, no Salão de Festas da Igreja Matriz da paróquia do Sagrado Coração de Jesus. Quem anima a noite é o cantor Matheus Maia. Também terá Show de Prêmiosação pela qual vendemos pequenas rifas e os prêmios são sorteados entre os participantes! 

Dá uma conferida no cardápio!

Entrada
Batatinha no molho/ Pão francês e vinagrete
Porções
Torresmo/Frango à Passarinho/ Calabresa Acebolada/ Batata Frita/ Mandioca Frita

Sobremesas

Variadas

Paróquia prepara Tríduo e Festa em Louvor aos Anjos para o dia 26 de setembro

A Paróquia do Sagrado Coração de Jesus se prepara para realizar o Tríduo e Festa em Louvor aos Arcanjos. As celebrações serão realizadas entre os dias 25 e 28, sempre às 19h30, na Igreja Matriz.

Os arcanjos anunciam importantes missões aos homens

No dia 29 de setembro, a Igreja Católica celebra a festa de três santos arcanjos, cujos nomes nos foram revelados nas Sagradas Escrituras: Miguel, Gabriel e Rafael. Sabemos que, além desses arcanjos, há miríades e miríades de outros seres angélicos, que são divididos em três hierarquias. Os seres angélicos da primeira e mais elevada hierarquia, que estão continuamente em adoração, na presença de Deus, são os serafins, os querubins e os tronos. Os da segunda hierarquia são as dominações, as virtudes e potestades, que governam o mundo material e espiritual. Por fim, os da terceira hierarquia são os principados, os arcanjos e anjos, que executam as ordens de seus superiores da segunda hierarquia.Miguel-Rafael-Gabriel_joelespinozaBlogspotPe_280915

Os arcanjos servem a Deus, mas também aos homens. Eles anunciam importantes missões aos homens, como fez o Arcanjo São Gabriel a Virgem Maria (cf. Lc 1, 26-38), e guardam especialmente as pessoas que desempenham importantes funções para a glória de Deus, como o Papa, os bispos, sacerdotes e líderes leigos.

O que é um anjo?

As Sagradas Escrituras e a Tradição da Igreja deixam-nos entrever dois aspectos a respeito dos anjos. Por um lado, o anjo é uma criatura de Deus, que está sempre diante d’Ele, orientada, com todo o seu ser, para o Senhor. Os três nomes dos arcanjos que celebramos, na Liturgia, terminam com a palavra hebraica “El”, que significa “Deus”. Ele está inscrito não somente nos seus nomes, mas também e, principalmente, em sua própria natureza.

A sua verdadeira natureza é a existência em vista d’Ele e para Ele. O segundo aspecto que caracteriza os anjos está precisamente ligado ao primeiro: eles são mensageiros de Deus e O trazem aos homens, abrem o Céu, e, assim, abrem a Terra. Justamente, porque estão na presença do Senhor, eles podem também estar muito próximos de nós.

Como dizia Santo Agostinho, Deus é mais íntimo a cada um de nós do que nós mesmos. Nesse sentido, os anjos falam a nós do que constitui o nosso verdadeiro ser, do que, em nossa vida, com muita frequência, está escondido em nosso mundo interior. Eles nos chamam a nos reentrarmos em nós mesmos, tocando-nos da parte de Deus. Por isso, nós também deveríamos nos tornar anjos uns para os outros, anjos que nos afastam dos caminhos errados e nos orientam sempre de novo para Deus.

Somos chamados a nos tornar anjos, mensageiros de Deus, que ajudam as pessoas a encontrar a sua verdadeira natureza, a si mesmas, e a viver a sua vocação, o chamado de Deus. Toda essa realidade espiritual se torna ainda mais clara, se meditarmos sobre as missões dos três Arcanjos, cuja festa nós celebramos na Liturgia.

As duas funções de São Miguel Arcanjo Nas Sagradas Escrituras, encontramos a figura de São Miguel Arcanjo no Livro de Daniel, na Carta do Apóstolo São Judas Tadeu e no Apocalipse de São João. Nesses textos bíblicos, tornam-se evidentes duas funções deste Arcanjo. Primeiramente, Miguel defende a causa da unicidade de Deus contra a soberba do grande dragão, da primitiva serpente (cf. Ap 12, 9), como diz João. O Arcanjo defende-nos da constante tentativa de satanás fazer-nos crer que Deus deve desaparecer, para que possamos nos tornar grandes, e da ideia de que Ele é um obstáculo para a nossa liberdade, e que, por isso, devemos afastar-nos d’Ele. O dragão não se limita a acusar Deus.

O Apocalipse nos revela que ele é também “o acusador dos nossos irmãos, que os acusava de dia e de noite diante de Deus” (12,10). Mas quem põe Deus de lado não se enobrece. Ao contrário, priva-se da Sua dignidade. Dessa forma, tornamo-nos escravos da nossa própria natureza, corrompida pelo pecado original. Pois quem acusa Deus acusa também a si mesmo.

A fé em Deus defende-nos em todas as nossas fraquezas e limitações. Pela virtude da fé, o esplendor divino resplandece em cada um de nós, pois o que podemos dizer e pensar de mais elevado sobre a humanidade, a não ser que o próprio Deus se fez homem?

Segundo as Escrituras, outra função do Arcanjo Miguel é a de ser protetor do Povo de Deus (cf. Dn 10,21; 12,1). Sendo assim, nós que, segundo a Tradição, somos o novo povo de Deus, devemos pedir, constantemente, a proteção de São Miguel.

O Arcanjo São Gabriel e o anúncio de Deus Na Bíblia, encontramos o Arcanjo São Gabriel na preciosíssima narração do anúncio da encarnação do Filho de Deus a Virgem Maria, conforme nos transmitiu São Lucas (1,26-38). Gabriel é o mensageiro de Deus por excelência, que nos revelou o mistério da encarnação do Verbo de Deus. O Arcanjo bate à porta de Maria e, por meio dela, o próprio Deus pede a ela o seu “sim”, para o desígnio divino de se tornar a Mãe do Redentor, de dar a sua carne humana ao Verbo eterno de Deus, ao Filho de Deus. Repetidas vezes, o Senhor bate à porta do nosso coração. No livro do Apocalipse, Deus diz ao “anjo” da Igreja de Laodiceia e, através dele, aos homens de todos os tempos: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a Minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele” (3,20).

O Senhor está à porta, à porta do mundo e à porta de cada um de nossos corações. Deus bate à porta de nosso coração, para que O deixemos entrar: “a encarnação de Deus, o seu fazer-se carne deve continuar até ao fim dos tempos. Todos devem estar reunidos em Cristo num só corpo: dizem-nos isto os grandes hinos sobre Cristo na Carta aos Efésios e na Carta aos Colossenses. Cristo bate” 1 . Também hoje, Deus tem necessidade de pessoas que coloquem à disposição a própria carne, que Lhe doem seus bens materiais e espirituais, servindo assim para a unificação entre Ele e a humanidade, para a reconciliação universal.

Ao entrarmos em comunhão com Cristo, podemos também assumir a função de Gabriel: levar o chamado de Cristo aos homens. Assim, à semelhança de São Miguel, compete a nós bater à porta do coração dos homens, em nome de Deus, e anunciar-lhes a Boa Nova da Salvação, realizada em Cristo.

São Rafael, a cura e a reconciliação O Arcanjo São Rafael nos é apresentado no Livro de Tobias como o Anjo ao qual é confiada a tarefa de curar. De modo análogo, quando Jesus envia os seus discípulos em missão, com a tarefa do anúncio do Evangelho, está sempre ligada a de curar. “O bom Samaritano, acolhendo e curando a pessoa ferida, que jaz à beira da estrada, torna-se silenciosamente uma testemunha do amor de Deus. Esse homem ferido, com necessidade de curas, somos todos nós. Anunciar o Evangelho, já em si, é curar, porque o homem precisa, sobretudo, da verdade e do amor” 2 .

No Livro de Tobias, são referidas duas tarefas emblemáticas de cura do Arcanjo Rafael. Primeiramente, ele cura a comunhão entre homem e mulher, cura o seu amor. Além disso, ele fasta os demônios que, sempre de novo, querem destruir o seu amor. Rafael purifica a atmosfera espiritual entre o homem e a mulher e confere-lhes a capacidade de se receberem mutuamente para sempre. No Novo Testamento, a ordem do matrimônio, estabelecida na criação e ameaçada de muitas formas pelo pecado, é curada pelo fato de que Cristo o acolhe no Seu amor redentor. Jesus faz do matrimônio um sacramento. Nele, o Seu amor, que se tornou patente no mistério da cruz, é a força restauradora que dá ao homem e à mulher a capacidade da reconciliação, purifica a atmosfera e cura as feridas.

Nesse sentido, no sacramento da Penitência ou Confissão, somos sempre guiados de novo ao encontro da força reconciliadora do amor de Cristo. Em segundo lugar, o Livro de Tobias nos fala da cura dos olhos cegos de Tobit. Em sentido espiritual, todos nós sabemos o quanto estamos ameaçados pela cegueira. Corremos um grande perigo, pois, por causa de tudo o que sabemos sobre as coisas materiais e o que somos capazes de fazer com elas, podemos tornar-nos cegos para a luz de Deus. Curar esta cegueira, mediante a mensagem da fé e o testemunho do amor, é o serviço do Arcanjo Rafael. Que os santos arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael nos ajudem a sermos curados, a perseverar na busca pela santidade e a sermos, à semelhança deles, mensageiros de Deus, do seu infinito amor por toda a humanidade.

Santos arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, rogai por nós!

 

Fonte: Canção Nova

Novena do Sagrado Coração começa dia 30 de maio

DSCN0445A paróquia do Sagrado Coração de Jesus já iniciou os preparativos para a Novena do Padroeiro, que será entre os dias 30 de maio e 07 de junho, na Igreja Matriz, no Jardim São Paulo.

As celebrações serão realizadas às 19h30, nos dias de semana e, às 19hs, nos finais de semana.

O tradicional bolo do Sagrado Coração de Jesus será vendido a partir do dia 08 de junho, logo após a missa festiva que será realizada às 19h30.

No dia 09 terá Procissão e Missa saindo da capela da Igreja Maria Mãe da Igreja, no Jardim Crepúsculo, às 18hs, e seguindo até a Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus, no Jardim São Paulo, onde haverá a missa.

Teremos uma chuva de graças! Vem!